PÁGINAS

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O CÂNTICO DO MEU SILÊNCIO

Meu silêncio tem voz suave


De manhã é calma e breve
Quando o sol a pino é lenta
Ao entardecer é discreta


Meu silêncio tem voz suave


A noite diminui a sonorização
Antes do sono apenas sussurra
Durante entoa cantigas de ninar


Meu silêncio tem voz suave


Na madrugada é silenciosa
Nos sonhos permanece calada
Na aurora torna-se reflexiva


Meu silêncio tem voz suave


Nos repentes de dúvida é racional
Nos instantes sórdidos é materna
Nos momentos de decisões é paterna


Meu silêncio tem voz suave


Meu silêncio...


Meu silêncio tem voz angelical




Mais do trabalho do poeta Luiz de Almeida

4 comentários:

Tania Anjos disse...

"Meu silêncio tem voz suave


Nos repentes de dúvida é racional
Nos instantes sórdidos é materna
Nos momentos de decisões é paterna"


Amigo Luiz, o poema é tão suave quanto a voz do "teu silêncio".

Tão bonito... Bravo!!

É uma honra tê-lo aqui conosco.

Viva a poesia! Salve os Poetas!!

Grande abraço!
Taninha

LITERALMEIDA disse...

Dileta Amiga Minina Taninha:
Muitíssimo feliz pelo carinho de sempre para comigo. Sinto-me honrado por ter uma Poeta como Você no meu Rol de Amigos Prediletos e Amados.
Obrigado pela consideração, pela Tua Amizade e pelo Teu Carinho.
Bjus e:
"Esteja e Seja e Fique Feliz!"
Luiz de Almeida

Marcantonio disse...

Suave sim, mas clara, nítida voz poética.

E o link envia para um blog muito interessante. Gostei demais de conhecer.

Abraços.

Andréia Morales disse...

Leve, suave!!! Gostei muito!