PÁGINAS

domingo, 28 de abril de 2013

Dois Poemas de Eliana Mora





Devaneios quase possíveis 


O sol derreteu-se devagar
a escorrer pela ponta de um pincel macio,
no corpo daquela manhã.


Lenta e preguiçosa,
a tarde, insegura e tonta,
perde-se em divagações em tal cenário.


Ao pintor imaginário
resta a tela e um desafio: cerzir na noite
uma nova manhã.

Sobras de gotas douradas,
novos ares, nova vida,
matéria viva

[até algo surgir da costura agonizante].




Eliana Mora, 11/4/13
 ____________________



 

Por um instante, ainda






Por um instante, ainda


se a vida parar
se a tela do mundo escurecer
se o brilho do asteróide ainda conseguir nos alcançar
pronta estarei para tudo
que pode ser um nada
o vazio de um amor que não pode esperar


não importa o som dos pássaros
o alarido de algum nada a me chamar
estarei disposta
recosta aqui  sonho meu
abre todas as comportas
pensa que existo
com isto me leva onde quiseres 


se pensas que sou eu ainda
se reflito a cor do pensamento teu
retira-me do ponto de partida
anula-me num todo inconsequente
e pula-me a brincar de vida

porque ela é sim
a dona disso tudo


enquanto minha dor resplandecer
num tolo e mágico segundo
atira-me a ti 

[que - juro - não resistirei]


Eliana Mora, 30/3/13  


Eliana Mora - Lírio deserto 

6 comentários:

Tania Anjos disse...




Belíssimos os poemas de Eliana Mora.
Obrigada por trazê-la Paulo!



"Ao pintor imaginário
resta a tela e um desafio: cerzir na noite
uma nova manhã."

Caroline Godtbil disse...

Ambos são muito lindos, mas o promeiro é simplesmente perfeito!
Beijos.

Jayme Ferreira Bueno disse...

Muito interessante a poesia de Eliana Mora e ainda realçada por imagem sugestiva.
Parabéns pela postagem!

José Carlos Sant Anna disse...

Dois poemas perfeitos. Dois sopros que confirmam a existência da poeta obedecendo a um ritmo particular de vida.
Um discurso poético singularíssimo.
Bonita escolha!

Eleonora Marino Duarte disse...

Eliana é poeta de tantos sentidos que nos deixa tontear na palma da sua poesia. parabéns ao blog, por trazer, parabéns a poeta, pelos belos poemas.

beijos.

Eliana Mora [El] disse...

Um gosto de alegria suave, gente, muito grata por isso!

Obrigada, Paulo

beijos e abraços!

El