PÁGINAS

domingo, 30 de setembro de 2012

Dois poemas de Lalo Arias


    • Lalo Arias ,o poeta que faz do sentir um momento maior!

      (Graça de Souza Feijó)





      CORAÇÃO




      tenho medo

      de não ouvir mais a tua voz

      ou de esquecer

      de ontem

      quando você saiu

      pra comprar um par de sapatos

      e voltou

      com três pares de sapatos

      tenho medo

      de ser sentimental demais

      e tenho medo do tempo

      mas ele é meu aliado

      ele me ampara

      enquanto eu respiro

      enquanto eu fico calado

      no balcão do bar

      em frente ao amigo

      que me serve

      alegria,

      por favor,

      é aqui que vivo

      é aqui que morrerei

      tenho medo

      que não haja mais tempo

      de dizer

      pai

      eu te amo

      ou de ouvir minha filha

      dizendo

      pai

      eu te amo

      tenho medo que não haja 

      mais tempo

      de ouvir as crianças

      recitando

      meus poemas


      (setembro, 2012)





      O MAIOR AMOR DO MUNDO


      Ontem saltei pela sétima vez
      da ponte
      A mesma ponte sem rio por baixo
      sem trovoadas por cima
      Imaginei um oceano
      coroando a noite
      como um mar de pétalas
      que se junta
      a um mar de pérolas
      que resulta
      num mar de pedras
      rolando
      por baixo da ponte
      E o frio era tanto
      que abraçar a mim mesmo não bastava
      Agarrar o ar
      revendo
      um barco que aderna
      por trás do horizonte
      enquanto salto
      pela sétima vez

  •  Lalo Arias

    (Dê um click)




4 comentários:

Luis Eustáquio Soares disse...

ter medo de perder o q nunca esteve
achado, encontrado, de vez
q somos o desconhecido em nós,
através de outrem.
b
l

Daniela Delias disse...

Lalo é para mim um dos maiores nomes da poesia contemporânea. Há tanto sentimento, tanta verdade. Enfim, gosto demais...

Bjos, Graça!

Tania Anjos disse...

Lindos poemas, Graça!

Também gosto muito dos poemas de Lalo Arias.


Grande abraço!

Assis Freitas disse...

bravo, bravo


abraço